Manifesto de criação do makerbh

Quando eu era criança adorava desmontar coisas: relógios, brinquedos, gravador de fita K7, telefone, projetor super 8, tudo isto teve que sobreviver à minha curiosidade de entender, afinal, como tudo isto funcionava. Nem sempre tudo deu certo: um dedo machucado por uma mola de relógio ou um grande curto-circuito me fizeram aprender a tomar alguns cuidados.

Eu ficava fascinado com a oficina do meu tio, que consertava medidores elétricos de precisão, fotômetros e multímetros, com aqueles ponteiros delicados e bobinas de fios da grossura de um fio de cabelo. Este tio me deu um presente que nunca esqueci: ele montou um jogo da velha elétrico, com chaves, luzes vermelhas e verdes dentro de uma lata de filme 16mm que ele mesmo pintou.

Hoje em dia entendo que eu não estava sozinho. Conversando com amigos, é fácil encontrar muitos outros que faziam a mesma coisa!

Adiantando rapidamente para os dias de hoje… O que podemos desmontar em casa? Quem se habilita a abrir um iPod, um celular, um notebook ou uma TV? E se conseguir abrir… O que vai encontrar lá dentro? Que falta de graça…

O makerbh é ainda uma idéia em maturação buscando a resposta a como proporcionar um espaço, recursos e companhia para que crianças e adultos possam exercitar a satisfação de olhar por dentro das coisas, agora não mais as desmontando, mas criando, construindo e aprendendo?

A mesma tecnologia que hoje esconde o funcionamento das coisas atrás de chips minúsculos e secretos, também permite, cada vez mais e a um custo cada vez mais acessível, materializar nossas idéias em objetos e equipamentos. O compartilhamento destas idéias e geringonças dá espaço para novas idéias construídas em cima das originais e novos compartilhamentos, formando uma rede de resultados imprevisíveis, deixando no seu rastro adultos felizes com seus novos brinquedinhos e crianças curiosas, criativas e capazes de aprender sozinhas!

A idéia do makerbh segue este mesmo princípio. Ela não é nova. O movimento Maker nasceu nos Estados Unidos (onde a filosofia do “faça-você-mesmo” já existe há muitos anos) e está ganhando força rapidamente por todo o mundo. Mas cada lugar tem a sua cultura, suas forças e suas limitações e isto dá um novo significado a esta idéia… O que será que vai sair disso?

Estou curioso para descobrir…

—–

Veja também: o que é um Maker.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s